Documento simples 10972 - Índice do cartório de D. Brás da Silveira

Zona de identificação

Código de referência

PT/BNP/ COD/10972

Título

Índice do cartório de D. Brás da Silveira

Data(s)

  • 1782 (Produção)

Nível de descrição

Documento simples

Dimensão e suporte

198 fl.; em suporte papel.

Zona do contexto

Nome do produtor

Silveira. Família ([16--]-1842) ([16--]-1842)

História biográfica

Nome do produtor

Lorena, Nuno Álvares Gaspar de Távora e (1705-1789) (n. 1705-07-22 - m. 1789-01-08)

História biográfica

Nome do produtor

Silveira, Brás da (1747-1806) (n. 1747-05-26 - m. 1806-05-03)

História biográfica

Nome do produtor

Vila, José Joaquim dos Santos (flor. 1782) (flor. 1782)

História biográfica

Entidade detentora

História custodial e arquivística

Produzido em 1782, é possível que este índice tenha continuado na família Silveira nas gerações seguintes, mas desconhecemos a sua história custodial até ser incorporado na coleção "Códices" dos Reservados da Biblioteca Nacional de Portugal.

Fonte imediata de aquisição ou transferência

Zona do conteúdo e estrutura

Âmbito e conteúdo

Feito em 1782 por José Joaquim dos Santos Vila a mando de Nuno Gaspar de Lorena, pai de D. Brás da Silveira. Chegou aos nossos dias com algumas folhas em falta (que foram rasgadas, embora a maioria estivesse muito provavelmente em branco) e outras fora de ordem (as fl. 245 a 274 não estão, na sequência da foliação, no seu lugar correto).
Começa por elencar, em três entradas distintas, os morgados da Casa — o de Lourenço Leitão, o de Baltasar Leitão de Azevedo e o de Niza — e os bens que lhes estavam vinculados, indicando o Livro ou maço em que se encontrava a documentação da sua instituição ou vinculação e de confirmação sua posse. Cataloga, numa outra entrada, testamentos de membros da família. Inventaria, de seguida, as escrituras relacionadas com partilhas de bens. Sucedem os sumários: de certidões e sentenças, dotes de casamento, padrões e tenças e, por fim, de diplomas que dizem respeito à Lezíria de Alcamé (Vila Franca de Xira).
Na fl. 95, o cartorário volta a sinalizar o seu nome e o ano de feitura do índice, principiando uma segunda parte organizada segundo um critério geográfico. Surge, em primeiro lugar, o resumo da documentação relativa à aquisição, à posse e à gestão das propriedades da Casa situadas em vários locais da cidade de Lisboa, seguida daquela que dizia respeito a propriedades na ilha de Santa Maria.
Na fl. 151, as iniciais do nome do cartorário parecem destacar uma outra secção no interior do livro, em que se continua a inventariar a documentação respeitante à aquisição e à gestão do património da Casa, desta vez no Campo Grande, em Sintra e seu termo, em Santarém, na Ribeira de Canha e em Benavente. Seguem-se entradas que sumariam escrituras relativas: à alcaidaria-mor de Viseu, a propriedades na Enxara dos Cavaleiros e Enxara do Bispo, a padrões e quitações, a bens no concelho de Paiva, a sentenças, a Comendas antigas, a Comendas de D. Brás da Silveira, a emprazamentos (nesta entrada há folhas que estão em falta), e, por fim, já num acrescento posterior, a bens em Loures.
O inventário termina com quatro índices das fazendas referidas no livro em Lisboa e em Sintra e com um índice geral. Alguns não estão completos.
Os sumários apresentados são relativamente desenvolvidos, embora haja muitos que não indicam as datas dos diplomas. Entre aqueles que as indicam, temos datações compreendidas entre os anos de 1480 e de 1775.
O número do documento vem sempre assinalado, assim como o maço ou livro do cartório é apontado no início de cada entrada.
Este índice parece ter sido composto em várias fases, pois há ligeiras mudanças de estrutura e de apresentação da informação de umas “secções” para as outras. Nota-se ainda que foram realizados acrescentos posteriores, pois a letra e a cor da tinta são diferentes.

Avaliação, selecção e eliminação

Ingressos adicionais

Sistema de organização

Zona das condições de acesso e utilização

Condições de acesso

Condiçoes de reprodução

Idioma do material

Script do material

Cota(s)

Na BNP, o livro deve ser pedido na Sala de Leitura de Reservados pela seguinte cota: Códice 10972.

Características físicas e requisitos técnicos

Instrumentos de descrição

Zona da documentação associada

Existência e localização de originais

Existência e localização de cópias

Unidades de descrição relacionadas

Related descriptions

Zona das notas

Nota

Nota ao elemento de informação “Dimensão”: originalmente, seriam cerca de 400 fl.; o documento chegou aos nossos dias com várias folhas em falta.

Nota

Nota ao elemento de informação “Nome do produtor”: o cartório era de D. Brás da Silveira, mas, por qualquer motivo que não se conseguiu apurar, foi o seu pai, D. Nuno Gaspar de Lorena, quem ordenou a feitura do índice, como se refere no título do livro.

Identificadores alternativos

Pontos de acesso

Pontos de acesso - assunto

Pontos de acesso - lugares

Zona do controlo da descrição

Identificador da descrição

identificador da instituição

Regras ou convenções utilizadas

CONSELHO INTERNACIONAL DE ARQUIVOS — ISAD(G): Norma Geral Internacional de Descrição Arquivística. Trad. Grupo de Trabalho para a Normalização da Descrição em Arquivo. 2.ª ed. Lisboa: Instituto dos Arquivos Nacionais/Torre do Tombo, 2002, 97 p.

DIREÇÃO GERAL DE ARQUIVOS; PROGRAMA DE NORMALIZAÇÃO DA DESCRIÇÃO EM ARQUIVO; GRUPO DE TRABALHO DE NORMALIZAÇÃO DA DESCRIÇÃO EM ARQUIVO – Orientações para a descrição arquivística. 2.ª v. Lisboa: DGARQ, 2007, 325 p.

Estatuto

Preliminar

Nível de detalhe

Parcial

Datas de criação e revisão

2014-10-10; 2015-05-19.

Idioma(s)

Script(s)

Fontes

Nota do arquivista

Criado por Filipa Lopes.

Zona da incorporação